segunda-feira, 26 de setembro de 2016

sábado, 14 de maio de 2016

(a) Riscar o Património em Castelo Branco

Foi inaugurada ontem, na Biblioteca Municipal de Castelo Branco, a exposição colectiva de desenhos da edição de 2014 e 2015, da iniciativa «(a)Riscar o Património», organizada no âmbito das Jornadas Europeias do Património Cultural em parceria com os Urban Sketchers Portugal.
Desde 2014 que Castelo Branco integra, a convite da DGPC, a lista de 11 cidades portuguesas organizadoras do (a)Riscar o Património, num encontro nacional, em simultâneo, de praticantes, amantes ou curiosos, do desenho.
A exposição, com carácter itinerante, passou pelo Museu Nacional de Arqueologia (Lisboa), Museu Nacional de Machado de Castro (Coimbra), e a Galeria Municipal de Torres Vedras.
Depois de Castelo Branco seguirá para Évora, voltando a Lisboa em Setembro.
Estará em exibição até dia 27 de Maio.
A reportagem fotográfica é do José Costa











domingo, 27 de março de 2016

Comemorações do 245º aniversário de Castelo Branco






Mais desenhos aqui.

segunda-feira, 21 de março de 2016

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Desenhar em Museus e Exposições

Hoje começamos uma nova etapa no Clube de Oficina da Imagem do Agrupamento Nuno Álvares/Urban Sketchers Beiras. 

Desenhar a Arte nos Museus e Exposições de Castelo Branco. 
Começamos pela belíssima Coleção Millenium no Centro de Cultura Contemporânea. 
Para a semana voltamos. 
Quem quiser aparecer é bem-vindo
Terças feiras às 17 horas, em Castelo Branco






quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Barragem de Santa Luzía

Há muito tempo que não participo neste blog, e de vez em quando até faço uns rabiscos por estas beiras... este foi  o primeiro do ano, na Barragem de Santa Luzia em Pampilhosa da Serra.

terça-feira, 29 de setembro de 2015

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Coleccionar Arte

Gostaria de começar uma coleção de arte mas não sabe por onde há de começar? Na ARCOmadrid, o DN ouviu colecionistas e especialistas e deixa-lhe algumas pistas. Mas fica o aviso: entre o coração e a razão, o equilíbrio é muito difícil de encontrar

O que é fundamental para começar uma coleção de arte? Se estava a pensar em dinheiro, tente de novo. Todos os colecionistas ouvidos pelo DN durante a ARCOmadrid foram unânimes: essencial, essencial é ter paixão. É claro que é preciso dinheiro, mas todos falam de inícios de coleção com obras de artistas do seu tempo, a valores acessíveis. Só depois passaram para somas mais avultadas. Sobretudo dois deles: os empresários de raízes latino-americanas Jorge Pérez e Eduardo Constantin, cujas coleções estão em museus, tendo chegado àquela que consideram ser a última fase de crescimento de um colecionista - a necessidade de partilha.
Mas voltemos ao início. Helena Hernando, diretora da Arte Global, empresa que garante o serviço de apoio a colecionadores na ARCO, fez uma lista de dez passos. E quando os enumera, também põe em primeiro lugar a paixão para depois destacar "a relação com os artistas". Este passo e todos os seguintes que enumera (ver caixa) podem sintetizar-se em dois cuidados essenciais que os colecionadores ouvidos pelos DN também consideraram indispensáveis: formarem-se e informarem-se sobre os artistas e o mercado. 

http://www.dn.pt/inicio/artes/interior.aspx?content_id=4426491

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Foz da Líria